sábado, 22 de novembro de 2014

Alunos dos 6º A, B e C vão ao Cafundó #confira

Projeto Consciência Negra, Escola Ernestina, leva alunos ao Quilombo

A partida.

Até os mais quietos apreciando os momentos.


Os alunos dos sextos anos da escola Ernestina visitaram a comunidade quilombola Cafundó, em Salto de Pirapora – SP, sábado, 22 de novembro de 2014, com gestores, professores e colegas, por meio do projeto descentralizado Consciência Negra.
            Após completar por volta de uma hora e meia rodando por rodovias e vicinais, os quarenta alunos selecionados por meio de sorteio ao longo da última semana no espaço escolar puderam desfrutar de um longo – ou curto, como preferiram - dia de aprendizado contextualizado e significativo, em uma das únicas comunidades brasileiras remanescente da época da escravidão.
Quando chegaram ao local, defronte à associação da comunidade, os discentes foram muito bem recepcionados pelas monitoras locais Fernanda e Noemi, e pela representante Regina, que propuseram inicialmente a visita por todo o quilombo. 

Edna, Fabiano, Regina e Nazaré.
Partindo inicialmente da capela, a pé, todos visitantes da escola percorreram as bem cuidadas ruas de terra até a casa da mais antiga moradora do local. Dona Judite, com seus 75 anos, apresentou várias informações históricas, sociais e privadas, após constantes questionamentos por parte dos alunos. Eles demonstraram total ambientação ao elaborar questionamento sobre questões relevantes a curiosidade e anseios próprios da idade.


Depois do chuvisco agraciar a viagem, enquanto na casa da anciã de lá, todos rumaram em direção ao espaço central novamente. Foi quando os quilombolas apresentaram sua loja de artesanatos, feita de pau a pique.
Simultaneamente, após a divisão por interesses, um grupos de professores e alunos rumou em direção aos fundos da loja, onde puderam acompanhar uma espetacular apresentação espontânea de JONGO, a partir de um outro grupo de visitantes oriundos de São Paulo, capital. No local, todos puderam presenciar exposições extremas de sentimentos e sensações resultantes da dança, surpreendentes para alguns, contudo sempre com o maior respeito a diversidade religiosa.
Comer feijoada -arroz, couve e farofa - em ambiente diferente pareceu não desagradar a maior parte dos integrantes da comitiva Ernestina. Os paulistanos, citados anteriormente, fizeram uma feijoada “comunitária”, degustada pela maior parte dos itapetininganos. Junto aos produtos artesanais e industriais vendidos na associação, fizeram sucesso esses produtos e acrescentaram energia ao corre-corre da criançada. O esconde-esconde, pilhérias das mais diversas modalidades etc. puderam ser observadas, mas sem que houvessem situações de conflito aparentes, que fossem, ou mesmo agressões de qualquer natureza, dado o contexto sociocultural atualizado naqueles breves - ou longos - momentos.
Um dos clímax do dia, em questão, foi a improvisada roda de capoeira liderada pelo professor Gibi. Com simplesmente um pandeiro e muita energia dos garotos, Gibi  depreendeu todos a sua volta e transportou-os a própria história da capoeira, sem deixar de ressaltar a persistência das injustiças atuais vigentes.
No fim da atividade de aprendizagem significativa, dona Regina ensinou a garotada a jogar "futebol de pano". A alegria em disputar um trapo velho levando-o até o lado oposto de um chão de terra com uma cadeira fez questionar os menos sábios sobre qual o valor real da tecnologia na comunidade interiorana.
Tiveram momentos inesquecíveis durante o dia, os professores: Ana Cristina – Artes; Cláudia – História; Paulo – História; Gislene – Inglês e Português; Adriana – Geografia e História. Além da professora de história Nazaré, que presenciou quase que integralmente a manifestação de jongo. A professora Silmara, que levou consigo toda a família. O professor mediador Vilson, que mais uma vez demonstrou apreço ao humano em si. E, por fim, o professores Fabiano e a coordenadora Edna, que juntos puderam propiciar estes momentos diferenciados à pequena parte da comunidade escolar privilegiada neste dia.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Bullying

Eu tenho um amigo
que corria grande perigo.
Todo dia na escola,
um valentão em sua "cola"

Ele resolveu revidar,
à diretora comunicar.
"Tenho algo a falar
para a senhora julgar."

Tendo dito a situação,
pediu ajuda ao seu irmão
e explicou o que acontecia
em sua escola todo dia.

"Meu irmão Kaulim,
tenho sofrido bullyng.
No que pode me ajudar,
não posso mais aguentar."

"Nesse menino não posso encostar,
só à polícia posso denunciar,
pois briga não é a solução.
Não se paga com soco outra agressão.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Mais uma etapa do projeto Jornal da Escola Ernestina: produção de tirinhas.





Produção textual de "charges"







Os trabalhos acima foram desenvolvidos pelos alunos do 7º ano C, como parte do projeto descentralizado Jornal da Escola Ernestina.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Alunos criam projeto pela limpeza da escola (7º ANO D)


                No dia 4 de setembro, os alunos do 7º ano D da escola Profª Ernestina Loureiro Miranda percorreram os espaços escolares em busca de problemas no local. A exploração do espaço escolar foi a primeira das etapas realizadas para a elaboração de um projeto que tem como objetivo promover a limpeza da escola.

              O projeto em questão foi desenvolvido nas aulas de Língua Portuguesa com o auxílio do professor Fabiano, o qual nesta etapa inicial acompanhou os alunos durante a atividade de coleta de informações.
                Durante a coleta de informações vários funcionários foram entrevistados pelos alunos, entre eles a diretora, Dª. Deusa, a qual sugeriu, segundo um grupo de alunos, que “a escola devia ser mais limpa e organizada”. Este não foi um problema apontado somente pela diretora, mas também pelo coordenador e outros funcionários.
                A opção pelo tema do projeto, ou seja, o descarte adequado do lixo, foi acatada por todos os alunos da turma mediante discussão regrada. Outras atividades (etapas do projeto) continuarão a ser desenvolvidas com fim de conscientizar todos os frequentadores da escola.

Aguarde mais informações.

sábado, 10 de novembro de 2012

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Visita ao museu em Tatuí

Parabéns a todos os alunos do 3o Ano (EM) pelo comportamento e participação no Museu Histórico Paulo Setubal de Tatuí e aos professores Thiago (história) e Cíntia (Geografia) que estiveram juntos na visitação. E também os alunos da tarde que foram com a coordenadora Renata.

terça-feira, 24 de maio de 2011

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Comemoração do dia das Mães, dia 13 de maio


No último dia 13 de Maio realizou-se na Escola Ernestina, no período da tarde, uma super homenagem para o dia das mães. Foi um sucesso a festa com a participação de 70 mães e seus filhos, nossos alunos.  Foi uma festa simples, mas realizada com muita alegria e descontração. Aconteceram muitos sorteios de brindes. 



O aluno Lucas Fernando do 7º. Ano C foi sorteado com uma bicicleta. 
Mais fotos clicar aqui


Opiniões
“Senti muita emoção e alegria. Passou em minha mente que sou muito amada por ela. Fiquei muito feliz de homenagear minha mãe.” Vitória, 5º Ano D, filha de Valdinéia de Barros Santiago de Oliveira

video


 

“Ficou muito legal, foi uma maneira dos alunos expressarem o que sentem. Não mudaria nada na festa, pois foi muito melhor do que imaginávamos.”
Professora Verônica




 

sexta-feira, 13 de maio de 2011

em breve

Em breve teremos a Edição de Maio.
Aguardem.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Edição Impressa número 05, Abril de 2011 "On line"
É só clicar na imagem ou utilizar o link do lado esquerdo das postagens do blog

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Exemplo

Do zero ao 2º lugar entre as escolas estaduais de ensino médio

Em três anos, a João Caetano da Rocha saiu de um Idesp de 0,61 para 5,25, segundo maior índice de qualidade do Estado de São Paulo

Marina Morena Costa, enviada a Itápolis (SP) | 14/04/2011 
Há três anos, a situação da Escola Estadual Professor João Caetano da Rocha constrangia professores e alunos. Depois de tirar 0,61 na escala de zero a 10 do Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp), indicador de qualidade do governo do Estado, o título de “pior escola da região” quase faz com que a unidade fechasse. A autoestima dos docentes, estudantes e da comunidade chegou perto do zero também.
Inconformados com a nota pífia, a equipe gestora e o corpo docente decidiram agir. Um plano de ação foi estruturado com metas concretas, como aumentar a participação dos pais na escola, desenvolver atividades de leitura e utilizar mais a biblioteca e o laboratório de informática. “A nota foi um chacoalhão”, afirma a vice-diretora, Isabel Cristina Sioff, responsável pela direção na época.
Isabel conta que a turma avaliada pelo Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) – prova do governo que avalia a aprendizagem dos alunos e compõem o Idesp, junto com dados de repetência e evasão – era “problemática” em termos de disciplina e a aprendizagem não foi eficiente. Havia somente uma classe de 3º ano noturno, todos os alunos trabalhavam, a maioria nas lavouras da região, e faltas eram frequentes.
A escola passou então a controlar melhor os alunos com planilha de faltas, atrasos, pedidos de dispensa e atestados médicos. Após, três faltas ou atrasos seguidos, os pais eram avisados por telefone ou pessoalmente.

Mais que cana e casamento

Em 2008, a escola tinha apenas uma coordenadora pedagógica para cerca de 600 alunos, do 1º ano do ensino fundamental ao 3º do médio. Com a chegada de uma coordenadora só para o ensino médio, um projeto focado no resgate da autoestima e nas perspectivas de futuro dos alunos começou a ser aplicado.
Gislaine Salata entrevistou todos os alunos para saber o que eles gostavam e por quê. Perguntou de tudo, desde o time do coração ao professor preferido ou menos querido. Após ganhar a confiança dos alunos, a coordenadora passou a apresentar as possibilidades de continuação dos estudos. “Até então a perspectiva deles era muito curta: casar e ter filhos ou ir para o corte da cana e a colheita da laranja. Eu queria provar que eles poderiam mudar a realidade deles”, conta.

A coordenadora insistiu para que a turma de 2008 participasse do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Passou de sala em sala avisando os prazos, fez a inscrição dos estudantes, solicitou um ônibus à Prefeitura para levá-los aos locais de prova (a escola fica em um distrito a 11 quilômetros do centro da cidade), conferiu os resultados e até as possibilidades de bolsas de estudo – trabalho realizado até hoje. Cinco de 30 formandos conseguiram estudar em universidades particulares com bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni).
Em 2009, 11 alunos ingressaram no ensino superior e em 2010, 15 continuaram os estudos após se formar, 50% da turma. “Quando os estudantes começaram a ver que tinham perspectivas em relação ao futuro, a postura mudou em sala de aula. O Enem e o ProUni abriram as expectativas dos nossos alunos”, conta a professora de português Silvia Rapatoni Ribeiro.

Nayara dos Santos, de 15 anos, quer estudar e voltar para abrir um negócio na região onde mora para “expandir o distrito”. “Os professores nos incentivam ao máximo, fazem a gente ver o nosso sonho e querer ir além”, afirma. Roberta Bortolassi, 16 anos, aluna do ensino médio conta que aprendeu na escola a “querer mais, querer vencer na vida”.
Apesar de acharem que a escola “pega no pé”, os estudantes veem na cobrança um sinal de preocupação. “Os professores cobram muito da gente, mas é porque eles estão nos preparando para o que está por vir”, avalia João Paulo Sanita, 14 anos.
Os professores também são observados de perto e estimulados. A coordenação assiste as aulas e sugere alterações, atividades. Hoje 17 docentes da escola têm ou estão cursando especialização em educação e um é mestrando da Ufscar. A rotatividade dos professores, que era um grande problema também diminuiu. Por estar localizada em um distrito distante do centro, muitos professores pediam remoção para outras escolas. Agora, quase todos são efetivos, com exceção dos professores de biologia, química e física, e gostam de trabalhar na escola.

Desde que o resultado do Idesp saiu, a direção da João Caetano da Rocha não para de dar entrevistas e receber parabéns de pais e políticos da cidade. A escola ficou com o segundo maior índice da rede estadual no ensino médio (5,25) e acima da meta pretendida para 2030 pelo Estado, nota 5. “É um orgulho estar lá em cima, mas o Idesp tem muitas oscilações que independem do trabalho dos professores, como a diferença no desempenho de cada turma”, afirma Marlene Eunice Verdiani, diretora da escola.
As turmas de 2010 do 3º ano do ensino médio, responsáveis pelo alto Idesp, eram compostas de 17 alunos em média e tiveram apenas uma evasão. Em 2011, são 34 alunos de manhã e 30 a noite. “É provável que a gente não consiga manter o índice, porque com mais alunos em sala de aula fica mais difícil trabalhar as dificuldades individualmente”, ressalta a diretora.

A coordenadora Gisele faz uma ressalva quanto a classificação da escola: “O Idesp é um índice criado para nortear cada escola, não para estabelecer critérios de comparação entre elas. Cada unidade é uma, com suas particularidades e realidades diferentes. Não podemos comparar os desiguais”.

Fachada da Escola Estadual João Caetano da Rocha, 2º maior Idesp no ensino médio da rede paulista
Foto: Marina Morena Costa
Fachada da Escola Estadual João Caetano da Rocha, 2º maior Idesp no ensino médio da rede paulista

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Aluno Patrick, de nossa escola, é notícia



O aluno Patrick é notícia no atletismo de Itapetininga. Leiam a reportagem abaixo que saiu no jornal Correio de Itapetininga com todos os créditos ao repórter Giovani Hamada.

E no post logo abaixo ele está sempre ao lado de outros alunos de nossa escola nas competições na cidade. Parabéns a nossa galera do esporte, belo exemplo para outras escolas.
PRÉ-MIRIM
Atleta itapetiningano vai a Belo Horizonte disputar os Jogos da Juventude Brasil Itália


legendaGiovani Hamada - O atleta itapetiningano Patrick Andrews Sousa Batista, de 13 anos, recordista paulista na categoria pré-mirim de salto a distância, viaja daqui duas semanas para Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais, para disputar os Jogos da Juventude – Giochi Della Juventu (Jogos da Juventude Brasil Itália), que acontece entre os dias 8 e 10 de abril de 2011.
No ano passado, Patrick disputou o Final do Pró-Atletismo, da Secretaria Estadual de Esportes e Lazer do Estado de São Paulo, na cidade de Pirassununga, e conseguiu o recorde paulista em sua categoria saltando a distância de 5,47 metros. “Com esse resultado, ele foi convocado para participar do campeonato em Belo Horizonte, junto com os melhores atletas de todo o país”, conta o professor de atletismo Flávio Cipriano, uma vez que as equipes dos Estados participantes foram montadas com os melhores atletas, de acordo com o ranking de cada estado.
O jovem atleta, que mora na Vila Belo Horizonte, em Itapetininga, conta que seu maior ídolo no esporte é o atleta jamaicano Usain Bolt, e que no futuro seu sonho é crescer cada vez mais no atletismo e viver do esporte.
Treinando há dois anos, ele conta que desde pequeno gostava de brincadeiras de corridas. “Eu corria muito na escola, gostava de brincar de pega-pega e brincadeiras desse tipo e resolvi entrar no atletismo. Agora faz dois anos que estou treinando”, comenta.
O professor Cipriano conta que levará o jovem atleta até São Paulo e de lá ele será levado pela Federação Paulista de Atletismo (FPA) junto com outros atletas do Estado, que embarcarão num avião rumo a Belo Horizonte, onde serão disputados os Jogos da Juventude Brasil-Itália.
Cipriano conta que os atletas contam com o apoio da Prefeitura de Itapetininga e da Federação Paulista de Atletismo, que bancará a passagem de avião e estadia do atleta.


Fonte:

Jornal Correio de Itapetininga

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Escola Ernestina 1ª Etapa do Circuito de Pedestrianismo “PÉ NO CHÃO”- Vila Nova Itapetininga

Parabéns a todos e principalmente a professora Márcia (Educação Física). 

E na foto abaixo um belo exemplo do Mário (2o lugar na corrida principal de 6,8K) ao lado de suas filhas Tamara (1o lugar Mirim)e Thalya (3o. Lugar Mirim), alunas de nossa escola, 7a série e 6o Ano, respectivamente.  
Reportagem completa do evento no blog abaixo

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011


Jornal Folha de São Paulo 06/01/2011

"2012" é o filme mais absurdo de todos os tempos, afirma Nasa

Cientistas da agência espacial gostam, porém, de "Jurassic Park"

Divulgação

Cena do filme "2012" (2009), em que neutrinos causam terremotos,
furacões e tsunamis


DO "GUARDIAN"

O filme-catástrofe "2012", lançado em 2009, ganhou de cientistas da Nasa o título de obra cinematográfica mais cientificamente absurda de todos os tempos em uma conferência na Califórnia.
A Nasa diz ter recebido uma enxurrada de e-mails de gente preocupada com o fim do mundo e achou infeliz que neutrinos, um tipo de partícula subatômica, causassem terremotos e furacões, algo inconcebível.
"Tivemos até de pôr no ar um site para derrubar os mitos, algo que nunca tínhamos feito antes", diz Donald Yeomans, cientista da Nasa.
Outros filmes criticados pela Nasa foram "O Dia Depois de Amanhã", "O Sexto Dia", "O Núcleo - Missão ao Centro da Terra", "Quem Somos Nós" e "Volcano".
A agência elogiou, porém, a precisão científica de "Gattaca - Experiência Genética", "Blade Runner", "Metropolis" e "Jurassic Park".

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Alunos da Ernestina se destacam em Torneio de Atletismo

7º Circuito Estadual de Atletismo No Sesi Itapetininga

O dia estava muito frio pela manhã, aproximadamente uns 13º , mas não foi motivo de desânimo para os atletas, treinadores e pais que compareceram ao Sesi neste sábado. 

O blog publica abaixo alguns resultados que foi possível pegar durante as competições:


Salto em distância Pré mirim (masculino)

1ºcolocado: Patrick Andrew  - CASI - 4,44 mts 

2ºcolocado: Rafael de Lara Pereira - CURUMIM - 4,01 mts

3ºcolocado: Patrick Andrew  - CASI - 4,44 mts 

Salto em altura mirim (masculino)

1ºcolocado: José Roberto Miranda Jr  - Secretaria Esportes Itapetininga - 1,55 mts

2ºcolocado: José Rodrigues S Jr. - CURUMIM - 1,45 mts

3ºcolocado: José Vitor de Lima  - Secretaria Esportes Itapetininga - 1,45 mts

800 m rasos mirim (feminino)

1ºcolocada: Camila O França - Secretaria Esportes Itapetininga - 2,51,26

2ºcolocada: Priscila Santos  - CERQUILHO- 3,36,42

1000 m rasos mirim (feminino)

1ºcolocada: Aline Mendes Santos - Secretaria Esportes Itapetininga - 3,27,67

2ºcolocada: Ana Dias Passidônio - CURUMIM - 4,08,94

Fotos do evento

 

terça-feira, 4 de maio de 2010



Alunos da Escola Ernestina se destacam em competições

Dia 1o. de maio realizou-se mais uma etapa do Circuíto de Corridas de rua "Projeto pé no chão" da Secretaria Municipal de Esportes. A equipe de atletismo da escola que está sendo treinada pela profa. Márcia obteve uma ótima participação, ganhando várias provas, além de outras excelentes colocações. Destaque para a aluna Damaris que mesmo com pouco treino quase ganhou sua prova. Além do que os alunos tiveram que praticamente atravessar a cidade a pé para chegar até o local das provas. Parabéns a todos pelo esforço e dedicação.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Corrida de Rua na Vila Arruda



Tivemos neste domingo mais um Projeto da Prefeitura com o objetivo de incentivar a pratica esportiva. É o "Projeto Pé no Chão, Conheça seu bairro correndo". Estava presente o Tiro de guerra local. Teve até caminhada. alunos da escola Ernestina se destacaram em várias provas. Em breve daremos mais detalhes.



domingo, 11 de abril de 2010

Educação vai investigar 52 escolas

Carol Rocha e Amanda Mont'Alvão Veloso
do Agora

O secretário de Estado da Educação, Paulo Renato Souza, disse ontem que a secretaria irá investigar 52 escolas que melhoraram muito as notas do Idesp de 2009 (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo).

A declaração foi feita durante o anúncio oficial dos resultados do programa de Valorização pelo Mérito, que concede reajuste de 25% para até 20% dos integrantes do magistério.

Segundo o secretário, algumas escolas subiram a média no Idesp em três pontos, passando de um para quatro, por exemplo, o que mostra uma evolução muito significativa, em pouco tempo.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Festa de Hallowen na Escola Ernestina


Nesta última sexta-feira, dia 30 de outubro, realizou-se na Escola Ernestina uma Festa de Halloween com a participação de alunos e professores do período da tarde. O projeto foi idealizado pela professora Rute e contou com a colaboração de todos os professores do período.


Hallowen Na Escola Ernestina - Concurso de Fantasia

Durante as comemorações dos alunos foi realizado um divertido e assustador Concurso de Fantasias, onde um grupo professores-jurados deram notas de 0 a 10 para 5 categorias:

1) Melhor fantasia;
2) Criatividade;
3) Postura;
4) Maquiagem;
5) Originalidade;

Ao final foram totalizados os pontos, cuja classificação publicamos abaixo. Parabéns a profa. Rute pela realização e todos que colaboraram
para que tudo transcorresse tão bem.

Hallowen - Classificação do Concurso de Fantasia


segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Links para Palavras de Origem Indígena

Para os alunos que estão com dificuldades de fazer pesquisa sobre Palavras de origem indígena, coloco abaixo alguns links para facilitar a pesquisa:

(Procurem destacar aquelas palavras de uso mais comum em nosso dia a dia)

Escola Adventista:

http://www.educacaoadventista.org.br/educadores/index.php?option=com_content&task=view&id=107&Itemid=245


Dicionário indígena:

http://www.areaindigena.hpg.ig.com.br/dicionario.htm

Concurso TV TEM de Redação. "3º lugar -7° e 8º séries.

Aluna: Ketilin Siqueira de Aguiar
Profº: Daniela Pontes Jensen
E.E. : Profº Abílio Fontes

Do Blog Espaço Humanas (Fabrício & Kiki) da Derita

domingo, 1 de novembro de 2009